Quais são os sintomas das infeções respiratórias agudas?

24

Os sintomas das infeções respiratórias variam de acordo com o órgão predominantemente afetado, com o tipo de micro-organismos, a sua virulência e as barreiras do hospedeiro.

Apesar de haver sintomas que são caraterísticos de cada infeção, é frequente encontrar sinais e sintomas inespecíficos (Fig. 24):

  • Febre – É variável podendo ser elevada ou estar ausente
  • Dores de garganta, dores de ouvidos ou dores torácicas – Dependendo da localização original da infeção. É frequente as queixas não serem bem delimitadas e envolverem vários órgãos vizinhos, visto haver continuidade entre os vários constituintes do aparelho respiratório.
  • Obstrução nasal, espirros e corrimento – Acompanham os quadros infeciosos rinossinusais.
  • Tosse – Pode ser muito intensa, limitar-se a uma tosse espaçada com pequenos acessos pontuais, ou estar ausente nas infeções respiratórias altas como amigdalites, otites e rinossinusites. A tosse pode ser seca ou produzir expetoração. A expetoração pode ser branca, transparente ou amarela-esverdeada (‘;purulenta’;), sendo neste último caso sinal de infeção bacteriana.
  • Pieira e dispneia (sensação de falta de ar) – Com frequência, as infeções das vias aéreas inferiores provocam sensação de falta de ar e ruídos audíveis durante o ciclo respiratório: roncos (ruídos de tonalidade grave) e sibilos (ruídos de tonalidade aguda correspondentes a espasmo dos brônquios mais finos, habitualmente chamados de ‘;gatinhos’;). Estas queixas são comuns em doentes com asma ou com bronquite crónica, mas podem estar presentes em qualquer infeção respiratória baixa.
  • Mal-estar geral – É frequente as infeções respiratórias decorrerem com dores musculares, dores torácicas, dores de cabeça, cansaço, arrepios de frio e falta de força muscular. Pode também haver náuseas e perda de apetite.

 

Normalmente, uma infeção respiratória aguda dura entre 3 dias e duas semanas, se não houver complicações.

Não tome medicamentos para o tratamento das infeções respiratórias sem serem prescritos pelo seu médico.O medicamento que resultou num seu conhecido pode não ser adequado para tratar o seu problema. Não interrompa o tratamento sem falar com o seu médico.Não interrompa o tratamento quando desaparecerem as queixas. Esta atitude está na origem do aumento da resistência aos antibióticos e da crescente dificuldade em encontrar outros antibióticos eficazes.Esta informação não dispensa a consulta com o seu médico.Não tome medicamentos que não lhe tenham sido prescritos pelo seu médico para o tratamento das infeções respiratórias.

This is a unique website which will require a more modern browser to work!

Please upgrade today!